Lula diz em comício que Nordeste ‘tem que pedir forró pé-de-Dilma’

sábado, 24 de julho de 2010

Após visita à cidade natal, Lula participou de ato político da candidata do PT. Ele comemorou pesquisa que aponta Dilma com 41% de intenções de voto.

No segundo evento de campanha que participa ao lado da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou a divulgação da pesquisa Vox Populi, que apontou a petista com 41% dos votos, oito pontos percentuais à frente do candidato do PSDB, José Serra, que teve 33%.

Lula disse que, diante do resultado do levantamento, o Nordeste estava “proibido” de pedir para dançar forró pé-de-serra. “Depois dessa pesquisa, o Nordeste está proibido de ouvir forró pé-de-serra. Tem que ouvir forró pé-de-Dilma”, discursou Lula, nesta sexta-feira (23), em Garanhuns.

O presidente disse que não vai infringir a legislação eleitoral ao participar de eventos públicos com Dilma e disse ter a consciência de ter feito uma boa escolha ao indicar a petista para sua sucessão. “Quando a gente vai escolher alguém para ser candidato a presidente, é uma responsabilidade muito grande.”

Sem citar o nome de José Serra, Dilma criticou em seu discurso a campanha do PSDB à Presidência. “Nós somos aqueles que fazem, não que prometem, porque eles são aqueles que quando puderam mais fizeram menos”, afirmou. A fala foi uma referência ao slogan adotado pelo PSDB para a campanha, “O Brasil pode mais”.

Dilma lembrou a campanha de 2002. “Nossos adversários sempre escolheram o medo. Em 2002, eles foram para a TV e disseram que se o Lula ganhasse seria o caos. Disseram ‘eu tenho medo do Brasil que Lula vai construir’. Pois o Brasil que o Lula construiu é esse. Transformou os brasileiros em pessoas que sabem que tem muito para fazer, mas que têm esperanças no país.”

O governador do Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que concorre à reeleição, reuniu prefeitos e lideranças locais para receber Dilma e Lula. Ao discursar, Campos lembrou a trajetória de Lula e afirmou que o presidente “conduziu” o país ao futuro e fez com que o Nordeste pudesse “voltar a importar” os nordestinos.

“O Lula saiu daqui num pau de arara e volta tendo conduzido o Brasil para o futuro, tendo conduzido o Nordeste para voltar a importar os nordestinos”, afirmou Campos.

O poeta e romancista Ariano Suassuna foi o primeiro a subir ao palco montado no ginásio do colégio Monsenhor Ademar da Mota Valença, no centro de Garanhuns. Lula levantou a plateia ao ser anunciado na sequência, junto com Dilma.

Os participantes do evento, no entanto, submeteram Lula e a petista a uma saia justa quando vaiaram deliberadamente o prefeito de Garanhuns, Luiz Carlos de Oliveira, ao ser anunciado pelo cerimonial do evento. Lula reagiu com humor. “Deixem as vaias para aqueles que não vão votar nem na Dilma nem do Eduardo Campos.”

O presidente lembrou a brincadeira feita pelo prefeito, que disse que se Lula fosse técnico da seleção, o Brasil teria vencido o Mundial da África. “A partir do dia 1º de janeiro eu vou estar desempregado, então, se o Mano Menezes não for o técnico, você fale com o Ricardo Teixeira pra gente ganhar esse Mundial”, afirmou Lula.

Militantes do PSB e de partidos aliados comandaram o ato de apoio a campanha de Dilma. Um forte esquema de segurança foi armado em torno de Lula e da petista.

As tradicionais palavras de ordem como “Brasil, pra frente, Dilma presidente!” foram repetidos à exaustão pelos simpatizantes da candidatura petista.

Ao longo de todo o dia, os principais pontos turísticos de Garanhuns, como a Praça do Relógio e a Praça da Fonte luminosa, foram tomados por militantes com bandeiras e placas com fotos de Dilma, Lula e candidatos locais.

Caetés

Lula chegou a Garanhuns por volta de 16h30 e foi direto para sua cidade natal, Caetés. Ele entregou computadores a estudantes beneficiados pelo programa “Um computador por aluno” e discursou pouco mais de 20 minutos para quase 500 moradores da cidade.

Tanto Garanhuns quanto Caetés receberam cuidados de última hora para receber o presidente. Uma operação tapa-buraco da Polícia Rodoviária Federal chegou a congestionar o trânsito no percurso de 20 quilômetros entre as duas cidades.

Faixas com declarações a Lula foram espalhadas nos pontos onde a comitiva presidencial passou. Lula tirou fotografias com todos os estudantes que o cumprimentaram durante a cerimônia. Foi a última vez que Lula foi à terra natal como presidente, mas ele ainda deve voltar a Pernambuco para visitar as obras da Transnordestina, no final de agosto.

Ao conceder entrevista após o evento em Caetés, Lula defendeu abertamente candidatura de Dilma. No discurso oficial, ele falou que não poderia falar em candidatos, por impedimento da legislação eleitoral. Mas ao final do evento, longe do palanque, falou da campanha. Segundo ele, Dilma “está muito mais preparada, mais tranqüila”.

Festival de inverno

Depois de discursar no evento com lideranças locais, Dilma irá junto com o presidente Lula assistir às apresentações musicais do Festival de Inverno que acontece em Garanhuns. A banda Paralamas do Sucesso deve comandar o show para cerca de 70 mil pessoas. Está prevista uma manifestação do presidente e de Dilma no evento. O festival começou no dia 15 de julho e deve terminar neste sábado (24).

Fonte: G1 | Foto: Robson Bonin


1 comentários:

Serrote no pé-de-serra
Quem em Serra vota erra
Dança sem querer dançar
Pé-de-Dilma é na verdade
A nova modalidade
Do forró, que hoje invade
A cultura popular

Postar um comentário